Hora da Vacina para Cachorro: o que fazer?

Cães e gatos, assim como nós, devem ter cuidados especiais com a saúde. Com um acompanhamento veterinário e uma carteirinha de vacinação organizada, é possível ter o controle ideal sobre a saúde e vacinas do seu amigo de quatro patas!

Nós já falamos bastante sobre a importância da vacina e contra quais doenças graves ela age. Clique aqui para acessar nosso primeiro post sobre vacina para cachorro.

Agora é a hora de iniciar o esquema de vacinação.
O que fazer?

A escolha das vacinas e o intervalo entre as doses devem ser definidas por um médico veterinário, que vai avaliar cuidadosamente o estilo de vida do animal, onde ele mora, particularidades da raça e histórico familiar.

Portanto, a primeira coisa a se fazer é: marcar uma consulta com um médico veterinário de confiança!

A primeira dose de vacina para cachorro

Quando nascem, os filhotes contam apenas com os anticorpos fornecidos pelo leite da mãe para protegê-los contra microrganismos nocivos que possam causar doenças. Com o passar do tempo, essa proteção passa a desaparecer e os filhotes ficam vulneráveis, por isso, a vacinação ajuda a evitar que o seu cachorro adquira essas doenças.

A regra geral e obrigatória é que em todo esquema de vacinação para cães deva constar a aplicação da vacina múltipla (V8 ou V10) e antirrábica.

Existem outras vacinas, que devem ser aplicadas de acordo com a orientação do veterinário.

Acompanhe no quadro abaixo a frequência das doses:

filhote: 45 a 60 dias 1ª dose de vacina múltipla (V8 ou V10)
21 dias após a 1ª dose 2ª dose
21 dias após a 2ª dose 3ª dose
a partir de 4 meses de idade antirrábica (1 por ano)

Este quadro mostra todas as vacinas disponíveis no mercado. Cabe ao veterinário decidir o melhor esquema para cada animal.

Não precisa anotar ou decorar. Estas informações serão apresentadas pelo médico veterinário, junto a uma carteirinha de vacinação!

A orientação é que todo ano o cachorro receba um reforço destas vacinas, junto a um exame de rotina no veterinário.

E o cão adulto? 

Existem cães que não foram vacinados enquanto filhotes, portanto é necessário ter atenção!
Os cães adultos que nunca foram vacinados devem receber 3 doses da vacina múltiplaespaçadas de 21 dias cada, além da dose de vacina antirrábica após 120 dias de idade.

Esse mesmo procedimento vale para cachorros sem histórico conhecido.

Como aplicar a vacina para cachorro?

vacina-cachorro-veta

Todas essas vacinas podem ser aplicadas sob a forma de uma única e pequena dose de injeção subcutânea. Ocasionalmente, outras vacinas também são administradas, conforme a necessidade indicada por um médico veterinário.

O curso primário de três a quatro injeções de vacinas para filhotes costuma ser iniciado após o desmame, ou seja, de 45 dias até 8 semanas de vida, garantindo que a proteção contra todas essas condições atinja níveis adequados.

Após as primeiras aplicações, existem os reforços anuais para garantir a proteção contínua.

cachorro triste vacinaÉ comum notarmos que o filhote fica um pouco “amuado” ou “apático” nas primeiras 24 horas após a aplicação da vacina, é porque o sistema imunológico dele está trabalhando para reagir à vacinação em si. Algumas reações adversas também podem ocorrer, como dores no local, febre, mal-estar e reações alérgicas, causando inchaço no rosto e coceira.

Não se preocupe, mantenha-o em repouso e sob observação.
Mas entre em contato com seu veterinário caso ele não tenha voltado ao normal após as 24 horas.

Muito importante lembrar: espere ao menos uma semana após a última dose da vacina para expor o seu cachorro filhote ao convívio com outros animais. Esse é o tempo necessário para que a vacina interaja completamente com o sistema imunológico do cachorro.

Cuidados no ato da vacinação

Assim como nós, humanos, os cachorros também sentem um desconforto no ato da aplicação da vacina, portanto, alguns cuidados são essenciais para que o momento seja o menos traumatizante possível:

  • Se possível, opte por vacinar o seu cachorro em casa. Nossos pets se sentem seguros em seus territórios e o risco de adquirir doenças, pulgas e carrapatos é reduzido;
  • Cachorros dóceis devem estar com coleira e serem conduzidos por pessoas que consigam controlá-los e contê-los no momento de aplicar a vacina;
  • Cachorros bravos devem estar com focinheira para não oferecer nenhum risco de agressão ao proprietário, veterinário ou outras pessoas;
  • Crianças desacompanhadas não devem levar os cães para vacinar;
  • Cachorros com diarreia, secreção ocular ou nasal, febre, falta de apetite ou que estejam convalescendo de cirurgias ou alguma doença, não devem ser vacinados! Eles devem ser tratados e curados, e só quando estiverem sadios novamente é que podem receber a vacina.

Prevenção e acompanhamento

É extremamente importante remediar e prevenir doenças, pois algumas podem atingir o organismo dos animais e humanos rapidamente, sobrando poucas chances de tratamento ou cura.

Mantenha a carteirinha de vacinação sempre atualizada e leve seu amiguinho de quatro patas ao veterinário constantemente.

Um cachorro saudável é um cachorro feliz!
Mantenha a saúde do seu amiguinho em dia com o controle em carteirinha de vacinação e consultas frequentes ao médico veterinário.

Fonte: Geração Pet

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website