Viagem e pets: o que fazer?

Uma das coisas mais difíceis na hora de organizar a programação das férias para quem tem animal de estimação, é decidir qual o destino do bichinho enquanto você está fora de casa. Levar ele nem sempre é uma boa opção. Principalmente se o tipo de viagem planejada toma tempo e levar em consideração que quase nunca você estará na sua hospedagem na companhia dele. Além disso, não é fácil encontrar lugares que aceitam animais, bem como o transporte deles. Isso tudo sem contar a personalidade do seu bicho, que deve influenciar bastante na tomada desta decisão.

Por isso, decidimos listar todas as opções que você pode ter nesta hora. Confira!

viagem pet carro

Levar na viagem

Tudo vai depender do tipo de transporte, entre eles avião, navio, ônibus ou carro.

Avião:

Caso seu transporte seja avião, deve ser reservado com antecedência junto à companhia aérea, pois há um limite máximo de cargas vivas por voo. Cada empresa possui regras específicas, mas, de modo geral, elas são semelhantes. Há um custo adicional, normalmente calculado com base no peso do animal mais o peso da caixa de transporte sob o valor da passagem.

Às vezes ele pode ir com você na cabine, mas tudo depende das dimensões e o peso da caixa de transporte. Mas caso não de, não se preocupe: os compartimentos de carga são modernos, pressurizados e têm temperatura controlada, proporcionando relativo conforto ao animal. Mas todo cuidado é pouco! Algumas companhias não transportam animais de focinho curto (braquicefálicos), como o pug e o pitbull, porque essas raças lidam mal com variações grandes de temperatura.

A caixa de transporte é fornecida pelo cliente, e deve cumprir alguns requisitos mínimos como dimensões que permitam que o animal fique de pé e dê um giro de 360° – volta completa – ao redor de si mesmo. O material do piso também deve absorver ou conter fezes e urina, de modo que não vazem. Além disso, é essencial levar a carteira de vacinação.

Navio:

São poucos os navios que aceitam animais – e quando aceitam você não pode ficar circulando livremente com eles durante a viagem. É preciso verificar com a empresa todos os detalhes, mas, geralmente quando podem, as regras são as mesmas do avião. E as taxas de transporte também são bem salgadas!

Ônibus:

Para viajar de ônibus, também, as condições são muito específicas, variando de acordo com as empresas e regiões que elas atuam. Mas geralmente cães e gatos devem ter um atestado que comprove as boas condições de saúde do animal – o documento deve ser emitido no máximo 15 dias antes da viagem.

De acordo com o regulamento da Artesp (Agência de Transporte do Estado de São Paulo), para que o animal de estimação viaje em ônibus rodoviários que circulam em São Paulo, por exemplo, o dono deverá pagar uma passagem extra para acomodá-lo ao seu lado. E vale lembrar que em cada ônibus somente dois animais podem ser levados por vez e somente animais de pequeno porte – máximo de dez quilos – poderão viajar.

Carro:

De acordo com o Código de Trânsito Brasileiro, é proibido levar animais em partes externas do veículo ou dirigir com animais à sua esquerda, entre os braços ou pernas. Para evitar que um cão atrapalhe o motorista e viaje seguro, ele precisa estar preso. Você pode usar uma caixa de transporte, uma cadeira própria para cães ou um cinto de segurança adaptado para eles.

E lembre-se, sempre que possível, pare para que ele possa “ir ao banheiro”, tomar água e comer. Assim como a gente, eles também se cansam da viagem!

Se você decidir não levar seu pet com você na viagem, confira as opções:

Não levar na viagem

Hotel ou Pet Shop

São muitos os lugares que já trabalham com o serviço de hospedagem de animais. E nisso estão inclusos cães, gatos, furões, porquinhos-da-índia, passarinho, ou seja, qualquer tipo de pet. Alguns lugares começam o processo com uma consulta veterinária para avaliar a saúde do bichinho antes da estadia, avaliando assim pele, ouvido e até carteira de vacinação. E logo depois é aplicado um questionário para saber como é a rotina do animal, o que ele come, quando come e se costuma realizar atividades como passear e brincar.

Depois você acerta os dias, é sempre bom que junto com o animal você leve caminha, cobertores e brinquedos. Muitos lugares também passeiam com eles, então levar a coleira e guia também é interessante. E por aí vai! Recreação, piscina, banho e outros serviços para o conforto deles também são oferecidos.

As diárias podem ser cobradas pelo peso do animal, bem como pelo período. Pesquise e pechinche, pois aqui o preço pode ser um fator negativo!

Pet Sitter

Muitos são os aplicativos que hoje reúnem pessoas dispostas a cuidar de cães e gatos. Funciona da seguinte forma: as pessoas possuem perfis em sites descrevendo sua experiência e personalidade, bem como apresentam fotos do local onde o seu bichinho ficará. É disponibilizada também a avaliação dos donos de acordo com suas experiências, o que fortalece os vínculos da indicação online.

pet sitter gato

Assim que você conhecer alguém bacana, pode entrar em contato ou até mesmo marcar uma visita. As diárias com Pet Sitters normalmente são mais baixas que o hotel e com a possibilidade até da pessoa se deslocar até a sua casa, caso o bichinho tenha necessidades especiais.

Entre os principais sites que oferecem este serviço no mercado estão: PetHub, Pet Anjo e Babá de Animais.

Amigos ou Familiares

Essa opção pode ser a primeira no caso de você ter com quem contar – e que goste de bichinhos. Entre em contato com pessoas que você conhece e que poderia ficar com seu pet. É importante saber da rotina dele, se realmente dá para conciliar e claro, se seu animalzinho vai se adaptar com eles!

Assim como o Hotel e a Pet Sitter, caso escolha deixar seu bichinho com amigos ou familiares, é necessário deixar objetos dos donos para que ele não sinta tanta falta. Assim como número e endereço de lojas especializadas e o hospital veterinário que o animal já tenha costume.

O ruim é que você não pode exigir que a pessoa realize as atividades diárias que ele está acostumado – o que pode ser um ponto negativo para quem tem animais energéticos.

 

Portanto, analise as opções acima, observe seu bichinho, leve em conta o comportamento dele e se possível teste para ver como ele se adapta de acordo com a solução escolhida. Assim como nós, eles também são complexos e têm sentimentos. Às vezes podem sentir sua falta e ficar estressados. Considere todos esses aspectos e boa viagem!

Fonte: Geração Pet

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website