Microchip em catiorro? #minhacaradequemacredita

Pouco se sabe sobre essa nova maneira de proteger animais de estimação, o que pode gerar muitas dúvidas e, inclusive, receios. Mas, fique tranquilo, muchacho, porque agora chagamos pra acabar con tudo y todos y el diablo de uma vez por todas!

O microchip é um minúsculo chip eletrônico (um pouco maior do que um grão de arroz) que serve para identificar um canino ou gatuno. Nele ficam armazenadas informações sobre o pet e de contato do dono. Ele é injetado pelo veterinário sob a pele do animal com uma agulha parecida com a utilizada para vacinas, ou seja, é um procedimento muito rápido e simples e que não requer qualquer anestesia.

Além disso, o pequeno objeto fica dentro de uma micro cápsula de biovidro cirúrgico (o mesmo material utilizado em marca-passos), então dificilmente provocará qualquer tipo de reação no organismo do seu pequeño.

O microchip é importante para auxiliar a pessoa que encontrou um animal perdido a encontrar o seu respectivo compañero humano: de acordo com a Associação Americana de Médicos Veterinários, um estudo com mais de 7.700 animais de abrigos mostrou que 52% dos que tinham microchip voltaram para casa, contra apenas 21% dos que não tinham. Inclusive por isso, o Japão e todos os países da Europa obrigam o implante do microchip para qualquer animal de estimação que esteja entrando em seus territórios.

Ao levar um animal perdido ao veterinário, o profissional irá passar um leitor sobre o local onde o microchip foi implantado e poderá ver as informações do pet e os dados de cantato do dono. Essas informações são cadastradas pelo dono ao adquirir o microchip. E, justamente para que a possoa saiba que o animal é microchipado, o aparelhinho vem com uma plaquinha – para ser usada junto com a plaquinha de identificação comum – que indica que o canino, ou gatuno, possui o identificador digital.

O microchip não funciona através de tecnologia GPS, o que significa que tem um papel auxiliar no caso de seu querido bigodudo ter se perdido de você e que a plaquinha de identificação tradicional ainda é indispensável.

O procedimento pode ser realizado em clínicas veterinárias e alguns pet shops também, e você encontra opções a partir de R$ 80,00.

 

Coluna do Tito:

Que coisa mais sem graça, tava crente que era uma parada pra me transformar em um canino biônico. Já imaginou? OpTitus Prime?! #TitoWithLasers

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website