Meu gatuno é muito arisco; e agora?

Quem nunca ouviu um “eu não gosto de gatos” de alguém próximo? Infelizmente, muitas pessoas criam impressões erradas dos gatunos porque eles tendem a ser mais quietos e tranquilos quando comparados aos caninos. Afinal, não há nada de errado nisso, não é mesmo? Como são mais desconfiados, os felinos costumam mesmo ser mais medrosos, especialmente com quem não conhecem.

Mas, com amor, carinho e paciência tudo pode se resolver: siga as nossas dicas e comece a acompanhar um gatito muito mais receptivo.

Primeiro passo: consultas em dia

Já parou para pensar que o fato de o seu gatuno estar mais quieto pode estar relacionado a algum problema de saúde? É essencial fazer o acompanhamento anual no veterinário com seu gatíneo, para evitar que qualquer problema afete seu jeitíneo de ser!

O ambiente está adequado para um gato?

Felinos não gostam de barulho, sujeira e bagunça e, se na sua casa isso é comum, esse pode ser o motivo principal do estresse do gatuno. Certifique-se de que há cômodos no imóvel onde ele possa descansar e brincar de forma aconchegante. Evite também ficar sem limpar seus pratos de comida e, principalmente, sua caixa de areia.

Não provoque o pequeño tigre

Se o seu gatito não está 100% adaptado à sua casa ainda ou se não está em um dia bom, não fique provocando reações nele. Deixe que ele conquiste seu espaço e mostre quando está interessado em brincar e interagir. Ficar forçando uma interação pode deixá-lo nervoso não só com você, mas também com outras pessoas que estão por perto.

Saiba estimular a interação

Você sabia que abaixar-se para olhar nos olhos do seu gatuno pode passar mais confiança para ele? Quando estamos no mesmo nível, eles param de nos enxergar como ameaça e passam a nos ver como “iguais”. Por isso, antes de pegá-lo no colo, mostre que ele pode confiar em você. Além de não assustá-lo, ele pode, inclusive, querer mais carinho.

Encontre o motivo

Se após todas essas tentativas o gatíneo não melhorar, busque entender o que está acontecendo com ele. Muitas vezes, especialmente quando adotamos um animal, não sabemos pelo que ele passou antes. Assim como nós, um gatuno também pode desenvolver traumas que o acompanham pelo resto da vida, então é preciso amá-lo e respeitá-lo do jeitinho que ele for.

 

Coluna do Tito:

Economizarei minhas palavras ilustrando a solução com uma imagem…

 

Facebook Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*
Website